quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Introdução Alimentar

A criança nasce, se adapta a amamentação, passam as cólicas, começa a dormir por períodos maiores durante a noite, finalmente dorme a noite toda.
Quando você pensa que esta dominando essa tal de maternidade/paternidade, chega a hora da introdução alimentar e tudo vai por água a baixo!
Afinal de contas, a maternidade é como um jogo de vídeo game, quando você passa de uma fase, começa outra ainda mais difícil.
Não se desespere!
Isso aconteceu com todos nós, e na grande maioria das vezes foi difícil também.


Minhas experiências
O Miguel mamou exclusivamente em livre demanda até os 8 meses (o recomendado é apenas até o sexto mês) quando comecei (muito lentamente) a introduzir a alimentação tivemos bastante dificuldade.
Ele não gostava muito de comida e logo começava a reclamar e chorar e eu acabava dando peito para ele.




Com 9 meses ele começou a ir para a creche, recebi muitas orientações da professora dele (maravilhosa) inclusive com dicas do que eu poderia oferecer para ele. Ele tinha preguiça de comer sozinho e eu não gostava daquela sujeirada toda na hora de comer, então dei comida para ele em casa até a professora me explicar que na escola ele não estava se alimentando direito porque queria que alguém o alimentasse e eles prezavam a autonomia da criança. Ele dava um trabalhinho para comer até pouco tempo atras, quando de repente veio uma fome de leão (ele como igual se não mais do que eu).
Hoje não tenho o que reclamar dele, em casa tudo o que colocamos no prato dele, ele come. Inclusive gosta bastante de couve e brócolis.

A Melissa entrou na creche aos seis meses, com cinco dei mamadeira e comecei a introduzir alimentação. Ela aceitou super bem, comia de tudo, bastante e sempre feliz e animada.
Um mês depois que eu comecei a introduzir a alimentação a Melissa foi para a creche e ficava em tempo integral (pois eu trabalhava fora) o que ajudou, porque a turminha toda dela eram bons de garfo e ela se acostumou logo com a rotina das refeições. Na verdade eu fiz muito pouco, o crédito todo é da escola.
Uma das primeiras coisas que ela aprendeu a fazer foi segurar a colher e comer sozinha. A professora dela (que era a mesma do miguel na época do berçário) ficava espantada com o tanto que ela comia.




Mas depois que a Manu nasceu tudo mudou. :(


Mel


Ela começou a exigir que déssemos comida na boca dela, parou de querer comer ou demora até 1h na mesa para comer. É um estresse muito grande a hora das refeições, por menor que seja a porção de comida, ela dificilmente come tudo sem eu ter que falar para ela comer. Só domingo, que é macarrão que ela come normalmente.
Já saí varias vezes da escola dela chorando por ver na agenda que ela não tinha comido nada e pensando que teria que fazer ela comer em casa. Não é a questão de ter que fazer a comida, porque eu já me acostumei a almoçar cedo, sempre tem comida pronta quando eles chegam da escola, ou no máximo falta uma coisa ou outra para fazer. É o estresse que rodeava a refeição. E não é o caso dela não sentir fome, quando ela quer, ela come.
Vários dias na escola, ela não deixou colocarem salada no prato dela, hoje ela deixou e comeu tudo direitinho.
Espero que ela continue progredindo e que essa fase passe logo.



E agora a Manu.
O primeiro mês foi meio caótico, ela não aceitava comer nada, nem doce, nem "salgado" (na verdade sem gosto) ela chorava, virava o rosto, fazia ânsia. Eu desistia e dava mamadeira para ela.
Fiquei desesperada!
Não queria que ela demorasse muito para começar a comer e desse trabalho para comer o resto da vida (#draaamaaa)
Fui correndo choramingar para a professora do berçário maravilhosa e ela me deu a dica de misturar um pouco de banana na papinha "salgada". Ela começou a degustar a comida pelo menos, deixava colocar na boca e sentia o gostinho. Mas não mais que 3 colheres. 




Era um tal de "põe para dentro, põe para fora" sem fim kkk
Resolvi relaxar
A Manu ainda não foi para a escola, então estou sozinha nessa.
Tentei dar as refeições para ela junto com os irmãos para ela ver eles comendo também e foi bem legal. Até a Melissa começou a mastigar melhor, para ensinar à irmãzinha
Dei um grande intervalo (mais de uma semana).
Então os dentinhos começaram a dar sinais que iam nascer, sabe o que aconteceu? Ela começou a aceitar a comida! (aqui fogos da Disney hahahah)
Agora tem que dar comida com atenção, porque se demorar para colocar comida na boca dela, ela reclama.
Outra coisa, ela não curtiu a papinha quase liquida e sem gosto, ela gosta é da nossa comida amassada no garfo.
Agora que ela está comendo super bem (menos nos dias que ela está chororô por causa dos dentinhos) eu dou almoço para ela antes de ir buscar as crianças na escola, assim eu almoço junto com o Miguel e a Melissa. (se eu não fizer isso, acabo esquecendo de almoçar)



Manu


Algumas dicas:

  • Espere o tempo da criança, as vezes ela está com a idade, mas ainda não está preparada para comer. Fique tranquila, vá com calma, ok?
  • Desligue a TV! A criança prcisa estar atenta durante a refeição para poder sentir a fome e também quando está satisfeita. 
  • A criança, assim como nós, come primeiro com os olhos, então faça um prato atrativo para ela.
  • Quando for preparar os legumes para a papinha, cozinhe separadamente, e dê separadamente para que a criança tenha a chance de conhecer o sabor de cada coisa. Isso também serve para congelar, congele separado. ;)
  • Delegue. Se a criança mama no peito, e você tiver ajuda, peça a outra pessoa que dê comida a ela no inicio na introdução alimentar. Ajuda ela saber que o que tem para alimentar ela naquele momento é a comida. (principalmente para as mamaes que irão voltar da licença maternidade)
  • Opte sempre por #comidadeverdade! Açucar e industrializados não devem ser oferecido para crianças nesta fase da vida. (O jeito mais fácil de fazer isso é com a próxima dica)
  • Seja um bom exemplo. Não adianta dar um prato de brócolis para as crianças e comer uma pizza né? Encontre o prazer em comer bem.
  • Não tenha vergonha de dizer não! É a saúde do seu filho que esta em jogo, se alguma pessoa disser que o neném está olhando e vai ficar com vontade não se preocupe, ele nunca sentirá falta de algo que ele nunca provou.
  • Ofereça MUITA Água! Principalmente até o primeiro ano dê água ao invés de sucos.
  • Ofereça frutas ao invés de suco.

Aproveite esse momento para nortear a alimentação das crianças. Os hábitos que ela construir na primeira infância provavelmente ficarão com ela até a idade adulta.

Se vocês tiverem dicas, ou quiserem que eu faça uma série sobre alimentação infantil, me faça saber nos comentários.

Nos siga no Instagram eliethpcampos e veja nossa louca rotina no Snapchat eliethcampos1.


Até breve


















3 comentários:

  1. Ótimas dicas! Com ctz esse é o trabalho de uma mãe =)

    ResponderExcluir
  2. Que legal gostei das dicas Elieth vou começar a seguir sempre seu blog .Não vejo a hora do Bernardo começar comer papinha kkkkkk

    ResponderExcluir

Gostou? Deixa um comentário! Beijos